• Edith Ornellas

Como ficará o saber e a ocupação de trabalho pós-pandemia


Esse não é um texto de previsões. Não sou pitonisa e nem gosto de brincar de adivinhar o futuro. Mas percebo que as mudanças nas nossas vidas estão indo além das questões de saúde, das noções de higiene, das formas de nos relacionarmos com as outras pessoas e de revermos os nossos valores.


Percebo que as formas de trabalhar também sofreram mudanças consideráveis, porque todos recebemos o impacto nas nossas estruturas pessoais e profissionais, provenientes dessa pandemia. Além do temor de perderem os seus empregos, as pessoas têm se reinventado, têm reavaliado o teor dos seus conhecimentos, assim como a aplicabilidade dos mesmos.


Não temos mais um limite para o conhecimento como antigamente, que muitos se restringiam às suas especializações, às obras e aos resultados de pesquisas. Esse conhecimento deve chegar a todos de forma mais prática e democrática, aliando o que vemos na teoria com a prática diária, na qual reformulamos o nosso entendimento sobre o que está escrito nessa parte teórica.


Os olhos dos especialistas são importantes, mas não devem estar presos a longos escritos que ficarão presos em bibliotecas ou serão de acesso a poucas pessoas. Precisamos levar tudo o que aprendemos, de forma contextualizada e adaptada para aqueles que precisam aprender.


Fazer o que se gosta é muito bom e ser remunerado por isso é melhor ainda. Portanto, pesquise o que o mercado demanda, veja as possíveis profissões do agora e do futuro, mas principalmente, escolha algo que te traga prazer em trabalhar. Mas, como sempre digo, mesmo que você não esteja fazendo o que gosta, se planeje para fazê-lo no futuro, dando o melhor de si nas suas atividades atuais, mesmo que você não as ame.


Uma pessoa disciplinada, é aquela que dá o melhor de si para uma atividade, a qual não lhe é da preferência. Essa disciplina lhe dará um arcabouço de possibilidades, para ser eficiente e eficaz em qualquer coisa que você venha a fazer futuramente. O esforço da dedicação no presente é a habilidade para o que virá de melhor no futuro.


Não podemos nos acomodar e precisamos nos preparar, porque essa situação pandêmica deixará sequelas por muitos anos. Segundo o Voz da Bahia, em 09/05/2021, por Brenda Oliveira:

(...)

Professora do Insper, a economista Juliana Inhasz, explica que, se o jovem não correr atrás de oportunidades melhores diante do cenário que se apresenta ao país para os próximos anos, provavelmente ele regredirá uns 30 anos em termos de consumo. Ou seja, voltará aos anos 1990 e 1980, quando a massa trabalhadora não tinha a chance de ter um imóvel ou carro próprio, uma época também de lazer mais limitado, com viagens a apenas locais próximos de casa.

Especialmente para os de baixa renda, poderá ser mais difícil ter acesso a bens não essenciais como um tênis de marca e um celular de boa qualidade. Digamos que, para pegar o seu futuro de volta, será preciso ir atrás das habilidades necessárias para os novos mercados.

https://vozdabahia.com.br/havera-vagas-as-profissoes-que-continuarao-em-alta-no-pos-pandemia/


Conhecimento é o maior tesouro que alguém pode ter. Valorize isso e dê a sua contribuição na sociedade, estimulando a outras pessoas a aprenderem também. e precisamos nos preparar,


#resultado #empreendedorismo #empreendedor #empreender #economia #sociedade #crescimento #educacao #educacaoprofissional #educacaocontinuada #empresas #negocios #técnica #conhecimento #informação

Agradecemos a sua visita!

Fale conosco! E-mail: adm@jpoadvisor.com | Whatsapp: (75) 99294-6743.

Sucesso e prosperidade!!

Equipe JPO Advisor.